Instituição Fiscal do Senado prevê inflação de 7,9% para 2022

A Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado revisou de 5,4% para 7,9% a projeção da inflação para este ano – mais que o dobro da meta de 3,5% prevista pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). Os dados estão no relatório de maio do órgão, divulgado nesta quarta-feira (18), seis meses após o último balanço de dezembro.

Se o aumento dos preços faz o brasileiro perder o poder de compra, por outro lado, impulsiona a arrecadação do poder público. Mesmo com a expectativa da perda de R$ 31,4 bilhões em isenções e reduções de impostos para este ano, segundo a IFI, a estimativa de ganhos cresceu.

De acordo com o relatório de maio, a receita líquida (descontadas as transferências para estados e municípios) deve chegar a R$ 1,7 trilhão em 2022. O atual cenário inclui um aumento de R$ 111 bilhões em relação à previsão de seis meses atrás.

O economista Alexandre Andrade, da Instituição Fiscal Independente do Senado, explica que a inflação alta faz aumentar a base para o cálculo de impostos. Consequentemente, a arrecadação sobe, mesmo com as renúncias fiscais.

Entre as perdas elencadas para este ano pelo documento estão R$ 17,6 bilhões com a redução do PIS/Cofins sobre o diesel; de até R$ 7,6 bilhões com a queda de 35% nas alíquotas do IPI de produtos como eletrônicos e calçados; além de R$ 700 milhões com a diminuição do Imposto de Importação, como de carnes e biscoitos. “É um sinal que destaca a robustez do crescimento da arrecadação federal. O governo promoveu isso porque pode abrir mão”, avalia Andrade.

Na outra ponta, do que deve impulsionar a arrecadação, a nova projeção das receitas administradas, aquelas vindas de impostos, é de R$ 1,38 trilhão, um crescimento de R$ 132,5 bilhões em relação a dezembro.

O aumento no preço do petróleo também fez o IFI ampliar em R$ 90,9 bilhões a expectativa de receita com exploração de recursos naturais para 2022, que chegou a R$ 131,3 bilhões na análise deste mês de maio.

Já a melhora do mercado de trabalho, com o aumento dos postos formais, apesar da queda na renda, ainda ampliou a projeção das receitas previdenciárias, que devem alcançar R$ 511,3 bilhões neste ano, R$ 24,4 bilhões a mais do que o esperado em dezembro de 2021.

PIB e Selic
Além da arrecadação, a IFI também prevê uma melhora no PIB, de 0,5% para 1%, por conta da recuperação de vários setores, como comércio e serviços, e da liberação de verbas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço pelo governo federal.

A Instituição Fiscal Independente estima que, entre abril e junho, os trabalhadores devem sacar R$ 30 bilhões do FGTS, sendo que 30% devem ser usados para compras e o restante deve ir para o pagamento de dívidas e poupanças.

“Desde a última revisão de cenário, em dezembro, o ambiente externo piorou. O mundo crescerá menos em 2022. O Brasil conta com fôlego extra: o desempenho positivo da atividade no começo de 2022 e o efeito de medidas como a liberação do FGTS sobre o consumo das famílias elevaram a projeção de crescimento do PIB de 0,5% para 1%”, diz o relatório divulgado nesta quarta-feira.

No caso da Selic, a taxa básica de juros, a expectativa é de que ela chegue ao fim do ano em 13,25%.O economista Alexandre Andrade, do IFI, aponta que a economia deve seguir desacelerada por conta dos juros fortes para frear a inflação, com efeitos também para o próximo ano. A instituição revisou o PIB de 2023 de 2% para 1%.

“A inflação é ruim para empresários e consumidores. Para o empresário porque afeta o horizonte de planejamento, investimentos e eles se retraem. Ao mesmo tempo, os consumidores deixam de consumir ou têm o poder de compra corroído. Para fazer frente a esse quadro inflacionário, o Banco Central começou a subir os juros em março do ano passado. A taxa já subiu de 2% para 12,75%. Esse aumento de mais de 10 p.p. vai provocar um esfriamento da atividade econômica”, colocou.

Artigo anteriorCiclone perdeu intensidade, mas frio continuará até sexta, diz meteorologista
Próximo artigoCom fim da emergência para Covid-19, clínicas privadas vão vender vacina sem necessidade de doação ao SUS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui